Velhos odres sempre se rompem com vinho novo

O Evangelho visa conformar o homem à imagem de Cristo. E isto veio pela graça de Deus, é um dom gratuito.

Velhos odres sempre se rompem com vinho novo
O Evangelho visa conformar o homem à imagem de Cristo. E isto veio pela graça de Deus, é um dom gratuito. A carta aos Gálatas foi escrita porque as igrejas da Galácia estavam se deixando influenciar pela doutrina dos judaizantes, um grupo de judeu-cristão que ensinava que para alguém ser salvo era necessário também guardar a lei, a começar pela circuncisão.
"Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que frutifiquemos para Deus. (Leia Romanos 7.4; Gálatas 3.1-3)
De maneira que hoje, há ainda um outro evangelho vigorando, onde mais do que não haver cruz (que implica em lutar contra a velha natureza em nós) trocaram a cruz de Cristo por doutrinas de homens, sem realidade nas escrituras. Ou a descartam, fazendo o que o próprio Evangelho condena explicitamente, ou a reduzem, escolhendo o que melhor lhe parecem, introduzindo no meio da massa o fermento que a faz levedar. Trocaram o Espírito de Deus por suas produções e a seguem até o dia de hoje impondo isto aos chamados "irmãos na fé".
O mais triste desse cenário cristão contemporâneo é que os grupos que nasceram sob a alegação de serem os verdadeiros seguidores de Cristo, embora tenham aparência de piedade, procuram entrar no reino dos céus por seus próprios méritos, de maneira que ainda buscam produzir meios de agradar a Deus segundo bem lhe parecem. E impõem disciplinas aos homens segundo a disciplina dos próprios homens, que vêm carregada de uma conotação maligna que nunca foi o significado de disciplina. Pois que a disciplina nada mais é do que o caminho do discípulo. A palavra disciplina e discípulo tem a mesma raíz. Discípulo é uma pessoa que caminha na disciplina do discipulado, em nosso caso, do Senhor Jesus, que é o próprio Evangelho, a própria Palavra encarnada, o verbo de Deus. Não um livro. A escritura testifica dEle, a Palavra de Deus: Cristo é a Palavra de Deus.
De maneira que a nossa disciplina é andar nELe, em Cristo. Mas outro evangelho se levanta de todos os cantos neste tempo, onde a doutrina dos homens falam mais alto do que o Evangelho de Cristo, por isso coam mosquitos e engolem camelos. Qual o significado de estar no Caminho junto com outros? Enquanto não puderem responder a esta pergunta, jamais compreenderão este Caminho. Terão um líder com uma boca que fala enquanto todos ouvem e cumprem o que bem lhe parece, sem tomarem a iniciativa de encontrar com aquele que escolheu residir dentro deles. Ora, o Senhor multiplica a sua graça dando dons aos homens com vistas ao aperfeiçoamento da sua Igreja, não para tomá-la para si mesmos.
A doutrina dos homens vem da distorção da compreensão da doutrina de Cristo no qual há liberdade, desfaz as amarras da impiedade e introduz na vida. Doutrinas estas de homens, que nem deveriam ser chamadas de doutrinas, pois que doutrina, significa aquilo que procede do ensino do mestre, do douto. E tudo o que estes novos evangelhos diversos não são é o ser "doutrina", pois que só têm um propósito, aprisionar pessoas a legalismos com intuito de alimentar vaidades. Imposições veementes e radicais da mente pequena de religiosos que acreditam que em fazendo estas coisas estão servindo a Deus. De maneira que tomar a cruz para estes é se preocupar com o tamanho da barba ou do cabelo, frequência ao culto na caixinha a que chamam igreja, dar o dízimo e outros tantos de coisas que chamam "pecado", enquanto o pecado continua latente em seus interiores, quando odeiam ao seu irmão, quando não acolhem a Palavra da vida, quando se dividem em denominações que são partidos, quando condenam por não entenderem uma mensagem, quando cobiçam, quando sustentam um olhar mal para algo ou alguém, quando desprezam o próximo, quando transformam o que é natural em coisa errada e tantas outras coisas. Por isso os fariseus de gálatas que tornavam aos velhos rudimentos que nunca salvou ninguém, mas apenas serviu de aio, não conseguiam conter o vinho novo por serem odres velhos, e como não podia ter outro efeito, logo logo se romperam. Paulo então os escreve a fim de que voltassem ao verdadeiro Evangelho: Cristo, a realidade da lei e dos profetas. Onde tudo o que existe e tudo o que aconteceu e acontecerá tem nEle seu cumprimento e propósito.