Descansando na paz que excede o entendimento

Uma palavra de esperança e despertamento em tempos de angústia

Descansando na paz que excede o entendimento

Rápidamente o mundo foi mudando ao longo dos últimos 100 anos. Mudando na sua forma de viver, de se ganhar a vida, de se produzir e consumir, o mundo foi completamente transformado. As vaidades levadas ao extremo cobram alto preço no caráter do ser humano e na destruição do que é natural. Desequilíbrio e espécies extintas que jamais serão conhecidas antes da restauração de todas as coisas. E isso não ocorre apenas lá aonde os noticiários buscam cobrir, mas dentro de cada casa, dentro de cada pequeno gesto vaidoso de nós mesmos, que contribui para girar a roda deste grande sistema maligno. Tudo em nome de um progresso que nunca existiu, enquanto a humanidade esculpia a sua própria desumanização; sua desafeiçoação de Deus e do próximo. Ao ponto de que hoje, a todo instante, ter alguém querendo nos enganar. 

O Evangelho têm sido reduzido por esta geração a pílulas para saúde espiritual que devem ser tomadas todos os dias homeopaticamente, sob a forma de versículos descontextualizados, promessas interpretadas sem discernimento e profecias vaidosas e cheias de inclinações da carne que não encontram correspondência com as escrituras. Não é mais a mudança definitiva e evolutiva sem volta, que nos faz todos os dias buscar com prazer se relacionar com o Deus invisível que se fez carne e habitou entre nós, e em nós. Para um pequeno rebanho ainda o é, mas para a maioria, foi transformado em uma auto-ajuda, que no silêncio de Deus perde a consistencia e finda a esperança. Mas a verdade é que a pessoa do Evangelho, Cristo, nunca deixou de ser quem é, nem nunca foi condicionado ou preso aos "ismos" humanos. Não existe uma fórmula ou cartilha para se viver de maneira correta, o que existe é o conhecimento de se relacionar com Aquele que pode matar a velha natureza inclinada em nós, e nos conformar novamente à sua imagem e semelhança, nos dando uma nova esperança de ser levantado incorruptível da terra . Então o parâmetro do correto passa a ser enxergado, e ele é a consequência de viver em Deus. Nós veremos o que está errado e reprovaremos as obras das trevas, que já estão densas ao nosso derredor.

Cada dia que passa não faltam pessoas a serem tomadas pelas trevas e conduzidas a atitudes perversas. As pessoas se tornaram suscetíveis a toda forma de espírito imundo, dos mais sutis e quase imperceptíveis, aos mais explícitos que fazem pessoas acima de qualquer suspeita se comportarem de maneira completamente descontrolada. Mas a vida ainda continua passando no meio de nós como um rio, se o podemos notar. Há tanto lamento, e ainda não se completou Isaías 24. 

Mas a todos quanto crêem na Palavra de Deus, não ficarão sem auxílio. Conhecerão a tristeza e a dor, mas não serão escravos delas, nem seus mantenedores, oscilando em frustrações e depressões. Certa vez perguntei "quem pode ouvir ainda o canto dos pássaros?" - porque o tempo parece nos ter sido roubado e estamos sempre com pressa. E não foi porque o relógio atrasou, porque os dias abreviados de que cita o Senhor em Mateus 24:22, não são o atrasar das horas no relógio, mas o poupar de um povo que verá o seu livramento, no encurtamento de tempo de uma tribulação qual nunca houve sobre a face da terra.

Corremos sempre em busca do pão nosso de cada dia. Pelo menos esta é sem dúvida a nossa maior desfiguração da realidade. Porque ou cremos que o pão nosso de cada dia nos dá o Senhor hoje, ou viveremos sempre assim, usando de desculpas para não aquietar o espírito na paz que excede o entendimento, com as mãos no arado, para que entendamos que é com esforço na coisa certa, não nas vaidades ou na preguiça.

Tantas palavras foram faladas. Tantos sermões são ministrados, mas todos são esquecidos se não encontram a reciprocidade da experiência que cada um de nós deve ter. Nos aproximamos de dias ainda mais difíceis, contudo, não estamos sozinhos, o Senhor está conosco até a consumação dos séculos, promessa que não volta atrás. Atento Ele está a cada escolha nossa, diante de cada situação de provação. E assim também toda nuvem de testemunhas no altos céus.

Continue a misericórdia do Senhor a se renovar a cada manhã, porque ninguém é suficientemente capaz em si mesmo de suportar o peso deste século sem sofrer dano, se não estiver com o Senhor. Com Ele, enquanto o mundo se aflige, descansamos na paz que excede o entendimento. Que não venhamos a admitir a vida apenas por palavras, mas por obras e em verdade. Este é o nosso ministério, e também nossa esperança.

Shalom Adonai.