A humildade segundo o Evangelho

Será que nós sabemos o que é ser humilde? Será que nós buscamos isso?

A humildade segundo o Evangelho

"Bem-aventurados os humildes, porque herdarão a terra".
Mateus 5:5

Será que nós sabemos o que é ser humilde? Será que nós buscamos isso?

Humildade não é a menina bonita dizer que é feia nem o que toca o instrumento com habilidade dizer que não toca nada. Se inferiorizar não é ser humilde. Humilde não é ter uma autoestima achatada, não é ser tímido, covarde ou se ver inferior a tudo e todos. Humildade é uma condição interior primordial no Reino de Cristo.
Os humildes são pobres de espírito e ser pobre de espírito não significa ser espiritualmente pobre. Jesus não está parabenizando aquele que tem uma vida espiritualmente pobre, pobre em fé, pobre em amor, pobre em esperança, pobre em oração, pobre em pureza, pobre em obediência. De maneira que existe um sentido na declaração do profeta: “Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.” — (Is 55.6)

A palavra que Jesus utiliza para descrever o pobre de espírito é a mesma utilizada para descrever o pobre na parábola do rico e o lázaro (Lc 16.19–31). A palavra que Jesus usa tem o significado de mendigo, miserável, absoluta pobreza, que carece de tudo, aquele que está desprovido de qualquer coisa.
O que Jesus está dizendo aqui é que feliz é o homem que se achega diante de Deus sem qualquer vaidade, sem qualquer arrogância, sem qualquer exigência. É aquele que olha para Deus e reconhece que todas as suas conquistas vem dEle, que todo o seu ser é nada, ele é absolutamente um pó, como diz o salmista “…até os melhores anos são cheios de dor e desgosto…” (Sl 90.10a).

Jesus está dizendo que felizes são aqueles que reconhecem a sua condição miserável diante do Senhor, porque todos pecaram e não tem ao que se apegar. Felizes são os que reconhecem que são dependentes de Deus para poder viver, respirar e fazer qualquer coisa neste mundo. 

De maneira que a humildade também não está em negar as bençãos e talentos que Deus lhe deu, mas reconhecê-las em sua vida atribuindo a glória a Deus. 
Ser humilde não é se desfazer de tudo o que têm sem um propósito, ou andar de qualquer maneira para achar-se humilde. Nem a pobreza em si é um bem, nem a riqueza em si mesmo é um mal.
Tomemos como exemplo Salomão, ele foi riquíssimo, teve muitos bens, construiu palácios, teve muitas posses, e foi um homem que honrou a Deus com tudo quanto tinha; a riqueza que ele tinha vinha de Deus. Agora o oposto, temos o exemplo de Paulo, ele mesmo diz na carta aos filipenses “…sei viver na necessidade e também na fartura…” (Fp 4.12). Paulo sofreu, pois muitas vezes dependia das ofertas recolhidas nas igrejas para conseguir se sustentar na missão, pois ele mesmo não tinha condições de se manter; a sua condição de pobreza vinha de Deus.

Humildade não se mede pela aparência, seja ela qual for: pessoal ou social.

Você pode encontrar um humilde passando uma prova de necessidade, mas o que não passa não deseje isso por achar que é este o parâmetro do humilde. Isto não passa nem perto do que é ser humilde.
Nâo se deixe enganar pelas aparências. Olhe para si mesmo. No reino de Cristo as ações não se dão por "pena" se dão por amor. E o amor redunda em vida! O que tem alimenta o que não tem e ambos são supridos para todos funcionarem. Mas até o que tem, não o tem por si mesmo, e se não repartir, até o que tem lhe será tirado.
Existem humildes e arrogantes em todos os estados de vida que o ser humano pode se encontrar. 

Humilde não é aquele que nega o seu dom, que enterra o seu talento, que despreza o que Deus lhe concedeu. O humilde reconhece que tudo lhe foi dado sem merecimento e com um propósito, sem preço mas com um valor inestimável, para servir ao seu próximo e render a glória ao único Deus. 
A vida do humilde é sincera, suas ações são verdadeiras e seu testemunho glorifica não a si mesmo, mas a Deus.
O humilde não confia em si mesmo, mas vai em nome do Senhor. (Ref. Sf 3:12)

O humilde vive em constante arrependimento, mas não vive em murmuração, porque compreende que os sofrimentos diários tem sua medida exata e nem mais nem menos será colocado em seu fardo, que venha do Senhor. O humilde não tenta parecer o certo, nem insiste na exortação só para parecer que dela não precisa se incluir. o humilde sabe exortar sem acusar e sabe implodir a culpa para estabelecer caminhos de paz, nem se sente maior ou mais maduro por isso, porque entende que quem dá o crescimento é Deus.

O humilde não toma da Palavra com intenção de aplicá-la no outro, nem para mostrar uma aparente retidão. O humilde não maquina essas coisas, não está na sua natureza, de maneira que ele fala sabedoria com ou sem platéia e se cala diante das afrontas.

O Senhor presenteou a todos os que Ele escolheu, de maneira que não há entre nós ninguém sem ao menos um talento sequer. No corpo de Cristo, todos podem e devem funcionar. 
Não tenhamos aparência de humildade, mas sejamos verdadeiramente humildes, reconhecendo o que Deus nos deu e trabalhando para que isto glorifique ao Senhor por meio da nossa vida e perante os homens. Sejamos pobres de espírito, que é a base para todas as demais bem aventuranças. Um homem cuja confiança não está totalmente no Senhor, ou aquele que ainda não enxerga a imensa escuridão que há em seu coração, não pode chorar pelos seus pecados, não pode ser manso, não pode ser humilde, não pode ser puro de coração, e essas são todas as demais bem aventuranças. Sejamos ensináveis por Deus.


Precisamos escolher se queremos o Evangelho transformador ou o outro evangelho, o evangelho formatado desta geração, o evangelho coach e meramente motivacional.